domingo, 17 de fevereiro de 2013

Demonstração do Valor Adicionado – DVA

Demonstração do Valor Adicionado – DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176 da Lei 6.404/76

A Demonstração do Valor Adicionado – DVA tem a função de identificar e divulgar o valor da riqueza gerada por uma entidade e como essa riqueza foi distribuída entre os diversos setores que contribuíram, direta ou indiretamente, para a sua geração.

Segundo a NBC T 3.7 – Demonstração do Valor Adicionado (Resolução CFC 1.010/2005), a DVA é destinada a evidenciar, de forma concisa, os dados e as informações do valor da riqueza gerada pela entidade em determinado período e a sua distribuição. As informações devem ser extraídas da contabilidade e os valores informados devem ter como base o princípio contábil da competência.

No aspecto social e econômico, a ciência contábil tem ao seu lado a Demonstração do Valor Adicionado (DVA), a qual é uma  maneira de analisar e evidenciar o desempenho econômico e social das empresas.  A DVA é uma demonstração nova em comparação  às tradicionais no Brasil, em outros países a sua elaboração é obrigatória


A DVA evidencia os aspectos econômico e social do valor adicionado. Sob a ótica econômica, expressa o desempenho da entidade na geração da riqueza e a sua eficiência na utilização dos fatores de produção, comparando os valores de saída com os valores de entrada. Sob o ponto de vista social, demonstra a forma de distribuição da riqueza gerada: a participação dos empregados, do governo, dos agentes financiadores e dos acionistas, além da parcela retida pela empresa. Trata-se, desse modo, de uma importante fonte de informações, à medida que apresenta elementos que permitem a análise do desempenho econômico da empresa, evidenciando a geração de riqueza, bem como dos efeitos sociais oriundos da distribuição dessa riqueza.

Então, o valor adicionado representa a remuneração dos esforços desenvolvidos para a criação da riqueza da companhia, tais como os trabalhadores, que fornecem a mão-de-obra, os investidores e acionistas, que fornecem o capital, os financiadores, que emprestam os recursos, e o governo, que fornece os serviços públicos e a infra-estrutura sócio-econômica. A DVA evidencia não só a origem dessa riqueza, mas também a destinação de suas parcelas aos agentes que contribuíram para sua formação.

Segue um modelo abaixo:



A Demonstração do Valor Adicionado tem o poder de evidenciar a função social das empresas, proporcionando melhorias contínuas dentro das organizações e na sociedade.

Sua confecção e divulgação à sociedade representará um significativo avanço mercadológico, pois se formará um elo entre a sociedade e as organizações, harmonizando e democratizando a linguagem administrativa. Todos assimilarão em linhas gerais como foi conseguida e onde foi aplicada a riqueza. Assim, para a sociedade, estará esclarecida a necessidade da existência de determinada empresa.

Este estudo pretende ressaltar que urge positivar em leis os procedimentos operativos relacionados com a DVA, estabelecendo padrões, sanando dúvidas quanto à forma de publicação, para que se possam conseguir melhorias na qualidade de vida das pessoas, objetivo último das Ciências Aplicadas à Sociedade.


Publicado Por: Marcos Henrique Ramos
                            Luciano Oliveira